FANDOM


Athena é a deusa grega da sabedoria e da guerra, e a deuteragonista da série God of War, aparecendo principalmente como uma aliada de Kratos.

Ela é vista como um personagem neutro em God of War II, e seu lugar como deuteragonista foi tomado por Orkos em God of War: Ascension e por Gaia em God of War II. Mais ou menos na metade de God of War III, depois de Gaia trair Kratos, Atena retoma seu lugar como a deuteragonista, ajudando Kratos das maneiras que ela pode.

Mitologia Grega

Atena (também pronunciada Athene), também referida como Pallas Athena (Παλλάς Αθηνά; pronunciado / pæləs /), é a deusa da civilização, da sabedoria, da guerra, da estratégia, do artesanato, da justiça e da habilidade na mitologia grega. Minerva, encarnação romana de Atena, incorpora atributos semelhantes. Athena também é uma companheira de heróis perspicaz e a deusa do heroísmo. Ela é a virgem patrona de Atenas. Os atenienses construíram o Partenon na Acrópolis de sua cidade homônima, Atenas, em sua homenagem (Athena Parthenos).

Na Série God of War

Caçando o Guerreiro Marcado

Zeus, impulsionado pelo medo depois de ouvir a profecia de um oráculo de que o governo olímpico acabaria nas mãos de um "Guerreiro Marcado", enviou Ares e Atena para capturar aquele que se acredita ser o "marcado": um menino espartano chamado Deimos. Seu irmão mais velho, Kratos, tentou parar os dois, mas foi facilmente atropelado pelo Deus da Guerra. Antes que ele pudesse atacar Kratos, Athena interrompeu Ares, dizendo que já tinham o que eles buscavam. Antes de partir, deu um último olhar ao jovem Kratos e pediu perdão. Isso desencadearia a profecia, como eles, sem saber, escolheram a juventude espartana errada; Seria Kratos quem destruiria tudo o que o Olimpo representava.

Cerco de Atenas

Por puro ódio e ciúme de Atena, Ares convocou monstros do Submundo e atacou a cidade de Atenas para provar sua superioridade, sobre ela, para Zeus. Como Zeus havia proibido os deuses de se combater diretamente, o próprio Ares liderou o ataque a Atenas, pensando que nada menos que um olímpico poderia detê-lo. Atena e os outros deuses procuraram capacitar Kratos para que ele salvasse Atenas e pôr fim ao estrago de Ares de uma vez por todas. Ela o guia ao longo do jogo até a Caixa de Pandora.

Após a morte de Ares, ela revela que Kratos é perdoado de seus pecados, mas os deuses nunca concordaram em aliviá-lo de seus pesadelos; Nenhum mortal ou deus jamais poderia esquecer as terríveis coisas que ele havia feito. Com toda a esperança perdida, Kratos sentiu-se abandonado e se atirou das Falésias do Suicídio com vista para o Mar Egeu, acreditando que a morte era a única fuga de sua loucura. No entanto, Atena salvou Kratos da morte. Os deuses não haviam abandonado Kratos. Atena deu a Kratos o trono de Ares e o título de Deus da Guerra. Ela também lhe concedeu as Lâminas de Atena para substituir as Lâminas do Caos que lhe foram dadas (e tiradas) por Ares.

O Novo Deus da Guerra

Assim que Kratos abriu caminho em direção a Ambrosia mais uma vez, Atena tentou avisá-lo sobre os muitos perigos no caminho para a Ambrosia. Kratos simplesmente deu de ombros e seguiu em frente. Kratos mais tarde a encontrou novamente, e foi dito pela Deusa que agora são os mortos quem ele deve temer. Mais adiante, Kratos encontrou os soldados espartanos mortos que ele havia abandonado há muitos anos atrás. Eles voltaram dos mortos, prontos para lutar contra Kratos e matá-lo com raiva e vingança. Mas Kratos os derrotou.

Após os acontecimentos de God of War, Kratos partiu em uma viagem para encontrar sua mãe, um ato que Atena tentou impedir. Depois que os dois discutiram sobre se Kratos deveria ou não abandonar essa busca, soldados de Triton atacaram o navio. Depois que Kratos derrotou Callisto na batalha, ele proclamou a Atena que os deuses mentiram para ele sobre seu irmão. Depois de não ter respondido às suas proclamações, Atena finalmente respondeu, tentando avisar Kratos e tentando dissuadi-lo. Enfurecido, Kratos destruiu a estátua pela qual Atena costumava comunicar com ele. Após a morte de Deimos e Thanatos, Atena saiu de um portal e tentou fazer de Kratos um deus completo. Kratos recusou, no entanto, e jurou que os deuses pagariam pela dor que haviam causado. Depois que Kratos partiu para o Olimpo, Atena implorou seu perdão, chegando até mesmo a reconhecê-lo, silenciosamente, como seu irmão.

Traição de Zeus

Infelizmente, Kratos era um Deus de Guerra muito mais implacável do que o que Ares jamais foi. Ignorado pelos outros deuses, e irritado com eles por não livrá-lo de seus pesadelos (e do sofrimento que sua mãe e irmão passaram), ele direcionou sua atenção ao seu exército espartano. Juntos, eles começaram a conquistar toda a Grécia. Atena advertiu Kratos de que se ele não parasse com sua onda de destruição, a ira do Olimpo se tornaria cada vez mais forte e ela não seria capaz de protegê-lo. Kratos, descrente de Atena, virou as costas para ela e foi até a ilha de Rodes, onde seu exército espartano formava cerco.

Athena ficou sem outra escolha além de ajudar a livrar o Olimpo de Kratos.

Na forma de um deus colossal, Kratos destruiu a cidade de Rodes até que uma águia voou sobre ele, drenando grande parte de seu poder divino e encolhendo-o até o tamanho mortal. Kratos acreditava ser este um ato de conspiração, por parte de Atena, contra ele, até que o culpado foi revelado como sendo o próprio Rei dos Deuses - Zeus.

Durante a viagem de Kratos pela Ilha da Criação, ele encontrou o Jardim dos Deuses, onde uma estátua dourada de Atena avisou-o para não ouvir Gaia ou os Titãs (esse aviso, mais tarde, se revelaria justificado durante os acontecimentos de God of War III). Ela explicou a Kratos que haviam coisas mais importantes além de buscar vingança e que Zeus fez o que ele tinha que fazer para proteger o Olimpo. O rei dos deuses realmente temia Kratos. No entanto, Kratos ignorou o aviso e destruiu a estátua, continuando em sua busca pelas Irmãs do Destino.

As advertências de Atena não convenceram Kratos, e ele continuou sua busca por vingança até encarar Zeus mais uma vez. Tomando a Lâmina do Olimpo, Kratos esfaqueou Zeus repetidamente até que Atena interveio. Irritado por sua interferência, Kratos a afastou e atacou o Zeus, que fugia. Atena se atirou na frente de Zeus antes que ele pudesse ser esfaqueado e caiu nas mãos de Kratos. Triste pelo que tinha feito, Kratos perguntou a Atena pelo motivo de seu sacrifício. Atena respondeu que Zeus deve viver para que o Olimpo possa prevalecer. Ela também revelou que Kratos era filho de Zeus, obrigado a destruir seu pai, assim como Zeus tinha feito a Cronos. A revelação de Atena confirmou que Kratos era seu irmão e ele era um semi-deus. Enojado por esse fato e mais vingativo do que nunca, Kratos afirmou que não tinha pai, deixando Atena morrer em uma espetacular explosão de luz verde. Kratos proclamou: "Se tudos no Olimpo me negarem a minha vingança, então todos no Olimpo morrerão. Eu vivi na sombra dos deuses por tempo suficiente! O TEMPO DOS DEUSES CHEGOU AO FIM!"

Além-Morte

Depois de cair das costas de Gaia durante o ataque ao Monte Olimpo, Kratos caiu no rio Estige, que o levou ao Submundo. Lá, Atena, agora em um estado parecido com um de um fantasma, apareceu a Kratos, dando-lhe as Lâminas do Exílio e dizendo-lhe que, para que ele derrotasse Zeus, ele teria que voltar para a montanha e extinguir a Chama do Olimpo, que ele encontraria do outro lado do Hera's Garden. Atena também informou a Kratos sobre a Caixa de Pandora quando ele chegou à Chama. Quando Kratos, que estava cético, perguntou sobre sua mudança repentina no coração, Atena explicou que sua morte trouxe uma mudança nela, uma ascensão a um nível além daquele dos deuses, e como ela tinha uma visão melhor nessa forma do que no passado. Ela declarou que, se a humanidade quisesse ser livre, a morte de Zeus era necessária, e iria ajudar Kratos durante toda sua missão. Ela não morreu. 

Depois que Kratos conseguiu matar Zeus, Atena declarou que era hora de a humanidade ouvir sua mensagem e insistiu para que Kratos lhe devolvesse os poderes da Caixa. Kratos, no entanto, zombou de seus sentimentos, dizendo que o caos havia devastando o mundo e o fato de que a caixa de Pandora estava vazia. Confusa no início, Atena então percebeu que quando Kratos abriu a Caixa para derrotar Ares, desencadeou todos os males que Zeus absorveu e que infectou os deuses. Em vez de abosorver os poderes malignos de dentro da Caixa, como ela já havia pensado, Kratos, na verdade, adquiriu o poder da Esperança, o poder que a própria Atena havia selado na caixa. Durante todo esse tempo, Kratos teve esse poder enterrado sob toda a sua raiva, tristeza e culpa, protegendo-o assim de todos, inclusive de si mesmo.

Atena insistiu novamente para Kratos retornar o poder da Esperança a ela, para que ela restaurasse o mundo e o governasse como a nova Rainha do Olimpo. Kratos, em vez disso, decidiu empalar-se com a Lâmina do Olimpo, liberando assim a esperança para a humanidade. Atena, horrorizada, exclamou que a humanidade não saberia o que fazer com tal poder, antes de expressar sua decepção em Kratos. Então, depois de ter retirado a lâmina do peito, ela desapareceu, deixando Kratos em uma poça de sangue. É amplamente assumido que Atena estava infectada com o mal da Ganância, embora isso não se notasse antes de sua morte.

De acordo com Cory Barlog, ela não foi ouvida em muitos anos e seu paradeiro está atualmente desconhecido. [1]

Personalidade

De todos os Deuses do Monte Olimpo na série God of War, Atena é indiscutivelmente a menos egoísta e, na verdade, é muito nobre. Como mostrado não apenas pelo seu profundo amor por seu povo e por seu horror ao assédio de Atenas por parte de Ares, mas pela sua profunda preocupação e amor pelo resto da humanidade - como em God of War, ela afirma que pretende "liberar" a humanidade com a poder da esperança. Ela aparenta amar muito sua família - particularmente seu pai Zeus, profundamente, chegando até a sacrificar sua própria vida para salvá-lo, embora seja possível que ela apenas o fizesse para salvar o mundo, já que a morte de Zeus significaria a morte do Olimpo e, assim, a destruição do mundo inteiro.

Ela se importa muito até com Kratos, elevando-o como um deus, protegendo-o da ira do Olimpo e guiando-o em sua busca, permanecendo seu aliado mais próximo em todos os jogos. Isto talvez se deva ao fato de que Kratos é seu irmão.

Mas em God of War III, seus motivos mudaram um pouco. Por algum motivo, ela agora deseja a morte de Zeus e motiva a busca de vingança de Kratos. É possível que ela tenha sido afetada pelo mal da Ganância quando Kratos abriu a Caixa de Pandora, mudando seus motivos para ganho pessoal. No entanto, ela não mostrou nenhum daquele mal em God Of War II enquanto estava viva. Ela também afirma ter uma mensagem para a humanidade.

Desconhece-se qual era seu plano em mente, mas parece que ela desejou a destruição dos olímpicos para que ela pudesse reconstruir o mundo e governar a humanidade como a única e poderosa deusa. Além disso, de acordo com Erin Torpey, dubladora de Atena em God of War III, ela considera que Atena está "tentando fazer algo de bom para o mundo, mas, em última instância, quer assumi-lo", dando mais crédito à possibilidade de não ser tão benevolente como ela se apresenta a ser.

Poderes e Habilidades

Como a deusa da guerra e da sabedoria, Atena estava entre os deuses mais poderosos do Olimpo, com uma grande variedade de habilidades, ela era tão poderosa (se não mais poderosa) como Ares, sua rival.

  • Projeção Astral: depois de sacrificar-se por Zeus, ela conseguiu retornar em uma forma astral para guiar Kratos. Com isso, ela também ganhou uma visão diferente sobre o mundo e "finalmente viu a verdade".
  • Imortalidade: como todos os olímpicos, Atena era imortal, incapaz de envelhecer ou morrer por causas naturais ou armas mortais. Armamentos divinos, como a Caixa de Pandora e a Lâmina do Olimpo, bem como outros Olímpicos, Deuses, Titãs ou Primordiais podem prejudicá-la e matá-la no entanto.
  • Inviulnerabilidade: como todos os olímpicos, Atena era invulnerável e não podia ser prejudicada por armas comuns.
  • Possessão de Objetos: seu método favorito de se comunicar com seus servos e leais era tomando posse de uma estátua que a representava. Ela faz isso durante a série, para orientar Kratos.
  • Admissão de Poder: Atena é capaz de conferir aos seus criados um poder incrível, como aconteceu com Kratos, quando ela lhe deu a raiva dos deuses. Sua maior façanha, no entanto, estava em conceder a Kratos o título de Deus da Guerra, concedendo-lhe os poderes de um deus.
  • Conjuração de Poder: Atena era capaz de conjurar magia, como, por exemplo, o poder da esperança. Este poder era poderoso o suficiente para que um semideus ou até mesmo um poderoso mortal que possuísse o poder, pudesse matar deuses poderosos. A esperança era mais poderosa do que até o mal, o Medo. Zeus, o deus mais poderoso de todos, foi morto por esse poder.
  • Criação de Armas: como deusa da guerra, Atena conseguia criar incríveis armas de guerra, quando estava viva e quando estava em sua forma astral. Essas armas eram as Lâminas de Atena e as Lâminas do Exílio. É possível que ela também criou a Lâmina dos Deuses, uma vez que foi encontrada em sua cidade e a lâmina era segurada por uma estátua sua. Ela também carregava duas espadas nos quadris, com as quais ela costumava lutar.
  • Vôo: ela mostrou essa habilidade em sua forma astral, mas ela provavelmente á tinha essa habilidade quando estava viva. Considerando o fato de que ela foi capaz de alcançar a cimeira do sacrifício, podese assumir que ela realmente tinha essa habilidade.
  • Telecinese: no primeiro jogo, quando Kratos tentou se suicidar, Atena usou essa habilidade para colocar Kratos em terra sólida. Outro exemplo é quando ela levantou Pandora em direção a Kratos.
  • Intangibilidade: quando em forma astral, Atena era capaz de atravessar objetos quando quisesse e poderia tornar-se tangível quando quisesse.
  • Pirocinese: Como suas armas são imbuídas com fogo e o fato de que o Deus da Guerra possuía essa habilidade, é provável que ela tenha habilidades pirocinéticas também.
  • Força sobre-humana: como deusa, ela era muito mais forte do que qualquer mortal e ainda mais forte do que a maioria dos semideuses. Ela se mostrou capaz de bloquear um golpe da Lâmina do Olimpo enquanto Kratos estava empunhando-a, até mesmo sendo capaz de empurrar inicialmente o semideus para trás.
  • Sabedoria: Sendo a deusa da sabedoria, ela tinha um alto nível de inteligência. Sua inteligência extrema permitiu que ela pudesse fazer coisas como: resolver desafios e quebra-cabeças, desenvolver grandes idéias e planos, superar seus oponentes, descobrir a resposta dúvidas ou causas não tão óbvias e orientar as pessoas. Durante uma luta, a maior parte do tempo Atena usaria sua inteligência em vez de pura força (com exceção de sua luta com Kratos). Na mitologia grega, Atena sempre venceria Ares em uma luta.
  • Vigor sobre-humano: como deusa, ela tem uma força incrível e pode continuar lutando sem se cansar.
  • Velocidade sobre-humana: como deusa, ela possuía uma velocidade superior a de qualquer mortal e maioria dos semideuses. No entanto, ela não era tão rápida quanto Hermes.
  • Metamorfose: Com base no fato de que Kratos presumiu que a Águia que o atacava em Rhodes era Atena (mais tarde revelada como Zeus), é seguro assumir que ela pode assumir qualquer forma que julgar conveniente.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória