FANDOM



Eu não preciso da ajuda dos deuses! Mas agora o meu caminho está claro para mim. Eu servirei a eles, e eles manterão sua promessa de me livrar dos meu passado!

Kratos

God of War: Chains of Olympus é um jogo desenvolvido pela Ready at Dawn Studios, para PSP, em 2008. Foi o primeiro jogo da série a ser lançado para o PSP, sendo seguido por Ghost of Sparta. É uma prequela do God of War e se passa depois de God of War: Ascension. O jogo se passa no perído em que Kratos serviu os deuses do Olimpo por dez anos. Durante os anos, Kratos teve que cumprir várias tarefas em troca de ser livrado dos pesadelos que o assombravam.

Jogabilidade

Kratos, o protagonista da série God of War, usa um leque de armas e magias para enfrentar uma variedade de inimigos, sendo maior parte deles baseados em monstros da mitologia grega. Durante todo o percurso do jogo, Kratos pode encontrar orbes vermelhos de experiência que o permitem aprimorar suas armas e magias, além de Olhos de Górgona e Penas de Fênix que possibilitam o guerreiro aumentar suas barras de vida e magia, respectivamente. Ao decorrer da história do jogo, Os deuses do Olimpo dão diversas armas e poderes a Kratos.

História



Se passando na metade do período de dez anos em que Kratos serviu os deuses, Chains of Olympus começa com Kratos sendo despachado para a cidade da Ática para ajudar a defendê-la do exército persa invasor. Logo após sua chegada, o espartano vê um basilisco subindo pelas muralhas da cidade e o persegue. Durante sua perseguição, Kratos confronta o rei persa dentro da cidade e o mata. Tomando o poder do rei de invocar os Ifrit, ele então encontra o basilisco e o mata. Depois de derrotar o basilisco, ele testemunha o sol caindo do céu e fazendo o mundo mergulhar na escuridão. Seguindo a fraca luz restante no horizonte, Kratos atravessa a cidade de Maratona, encontrando, no meio do caminho, a névoa escura de Morfeu, que agora cobre a terra na escuridão. 

Eventualmente, Kratos abre caminho até o Templo de Hélio, fonte da luz restante, e chega até a Charrete do Sol. Ele encontra uma estátua de Atena, que lhe diz que Hélio desapareceu e Morfeu tirou vantagem disso para fazer com que os deuses caíssem num sono profundo. Atena quer que Kratos recupere Hélio para que ele possa retirar o poder de Morfeu sobre os outros deuses e sobre a Terra. Ao longo do caminho, Kratos é assombrada por uma estranha melodia, que mais tarde reconhece como uma música interpretada por sua filha Calíope. Através do Templo de Hélio, Kratos encontra a irmã de Hélio, Eos, que rapidamente o manda para as cavernas dentro do Templo do Olimpo. Ela garante Kratos que os deuses o aliviarão de seus pesadelos se ele concordar em salvar Hélio do Titã Atlas, que o raptou. Ignorando a promessa dela, já que os deuses o traíram antes, Kratos ainda concorda, embora com relutância, em salvar Hélio. Kratos então recupera o fogo primordial necessário para despertar os cavalos de fogo da caverna e retorna ao templo.

Depois de restaurar os cavalos de fogo de volta à vida, os cavalos levam Kratos ao Submundo e, depois, se retiram. Lá, ele conhece Charon, em sua balsa, no Rio Estige. O barqueiro logo em seguida lista as semelhanças entre ele e Kratos, dizendo que ambos são escravos dos olímpicos. Caronte então diz a Kratos para ir, dizendo que a sua hora ainda não chegou. Tendo negado a passagem de Kratos, e Kratos se recusando a sair, eles se engajam em combate, onde Caronte nocauteia Kratos e o deixa no Tártaro. Ali, Kratos testemunha a quebra das correntes que ligam o Atlas aos poços do Tártaro. Depois de algum tempo, o espartano luta e sai do Tártaro, retornando para derrotar Caronte. Tomando o controle da balsa, ele segue a luz de Hélio, atualmente iluminando o submundo, no rio Estige, chegando ao Templo de Perséfone. Para sua própria surpresa, ele vê sua filha Calíope nas margens do templo e a segue para dentro. Incapaz de localizá-la, em vez disso, ele encontra Perséfone, Rainha do Submundo.

Perséfone diz a Kratos que Calíope está nos Campos Elísios e que a única maneira de vê-la novamente é se Kratos "libertar" todos os seus males passados e se tornar digno de Elísio, renunciando os seus poderes dados pelos deuses; No entanto, Perséfone o avisa de que o mundo sofrerá por sua escolha. Depois de transferir seu poder para a Árvore Abandonada, que incluiu todas as suas armas, sua magia e relíquias, Kratos recupera sua humanidade, tornando-se um homem normal e se reunindo com sua filha. No entanto, Perséfone aparece: ela provoca Kratos, zomba de sua escolha e revela-lhe seus verdadeiros planos.

Amargurada por ter sido traída por Zeus, enganada por Hades e abandonada pelos deuses, Perséfone foi quem libertou Atlas. Enquanto Kratos estava se desarmando, Atlas estava seguindo lentamente o plano de Perséfone para destruir o pilar que mantém o mundo, e com ele, o Olimpo. Perséfone planeja matar todos, incluindo ela mesma, para liberá-la de sua situação. Kratos percebe agora que se ele ficar com sua filha, isso significaria o fim do mundo para todos, incluindo Calíope e ele mesmo. Embora isso quebre seu coração, ele sacrifica ver sua filha novamente, para recuperar seu poder, matando todas as almas no Elísio. De algumas almas ele recupera suas armas, relíquias e magia. Por isso, ele mais uma vez se torna o Fantasma de Esparta, recuperando sua aparência característica. Depois disso, Calíope desaba em prantos ao ver seu pai renascido, que continua com sua tarefa.

Com suas habilidades restauradas, Kratos persegue Perséfone, pegando-a na base do pilar. Ela diz que é o fim, e depois revela sua outra forma - uma mulher alada vestindo uma armadura negra - e leva Kratos ao topo do pilar. Uma vez que eles alcançam o cume, Kratos e Perséfone se envolvem em uma batalha final sangrenta; Durante a batalha, Perséfone tenta subjugar e confundir Kratos, dizendo-lhe para voltar ao Elísio e ficarcom Calíope, e, quando ele resiste, ela ordena que Atlas o destrua. Kratos acorrenta Atlas ao teto do submundo antes de retornar à batalhar Perséfone e, eventualmente, mata ela com a Manopla de Zeus. Morrendo, mas despreocupada com seu destino, a deusa zomba de Kratos, grunhindo que agora seu sofrimento nunca terminará, enquanto seu corpo explode, rachando o pilar no choque com Atlas, agora a única coisa que segura o mundo e o mantém unido. Embora o Titã também conte-lhe sobre os verdadeiros planos dos deuses para ele, Kratos acredita que seu caminho é claro, e que os servirá independente de qualquer coisa e eles, por sua vez, o livrarão de seus pesadelos, já que é tudo que lhe resta. Atlas termina predizendo que os dois se encontrarão novamente.

Mantendo sua própria promessa aos deuses, Kratos devolve Hélio ao céu. Mas ele fica sabendo de que seus pecados o consumiram, e ele nunca será puro o suficiente para ver sua filha de novo. Fraco por causa da batalha, Kratos cai da carruagem do sol inconsciente, mas é repentinamente parado antes de cair no chão, sendo colocado nas falésias onde mais tarde pularia no God of War original. Dois deuses, Atena e Hélio se aproximam dele e, ao louvá-lo por seu trabalho, retiram o Escudo do Sol e a Manopla de Zeus. Ao saírem através do portal para o Olimpo, Hélio sugere ajudar o guerreiro ainda mais, porém Atena se recusa, dizendo: "Ele viverá. Eles devem". O casal então se retira através do portal para o Olimpo, deixando Kratos, inconsciente, nas falésias com vista para o Mar Egeu.

Personagens

  • Kratos - O protagonista e o anti-herói da série God of War. Foi uma vez um grande general espartano, mas agora é obrigado a servir os deuses. Mais tarde na série ele substitui Ares como Deus da Guerra.
  • Eos - A deusa do amanhecer e a irmã de Hélio. Emocionalmente instável após o desaparecimento de seu irmão - o que fez com que Morfeu assumisse a Terra - Eos pede a Kratos para que encontre Hélio e lhe diz para adquirir o Sun Shield.
  • Morfeu - O deus dos sonhos. Ele aproveitou o desaparecimento de Hélio para lançar os deuses em um sono profundo e começou a envolver a Terra na Nuvem Negra.
  • Calíope - A filha de Kratos. Calíope nasceu e cresceu em Esparta, morando com sua mãe no país. Embora Calíope fosse facilmente amedrontada pela natureza violenta de seu pai, na verdade, Calíope, junto com sua mãe, eram as únicas pessoas a não temê-lo. Agora ela está morta, morta por seu próprio pai, mas, misteriosamente, Kratos começa a sentir sua presença nas proximidades.
  • Hélio - O Deus do Sol, o irmão de Eos e Selene, que desaparece misteriosamente, condenando o mundo à escuridão eterna. Seu desaparecimento levou Morfeu a assumir o controle.
  • Caronte - Para chegar até a localização de Hélio no Submundo, Kratos deve enfrentar o barqueiro do Estige: o poderoso ser conhecido como Caronte.
  • Atlas - O grande e paciente titã. Liberado por Perséfone para capturar Hélio e, usando ele, destruir o Pilar que sustenta o mundo, assim, matando os Deuses e a humanidade com eles.
  • Perséfone - A Deusa do Submundo, que decidiu vingar-se dos deuses libertando Atlas e guiando-o na destruição do Pilar que sustenta o mundo, capturando e usando Hélio.

Inimigos

Chefes

  • Rei Persa - O Rei Persa lidera seu exército contra a cidade da Ática. Kratos o confronta em um dos corredores da cidade. O rei é um guerreiro corpulento e alto, armado com uma grande espada e um Ifrit mágico. Kratos consegue derrotar o rei e, apesar do rei implor por sua vida, o mata esmagando repetidamente um baú na sua cabeça.
  • Basilisco - O grande mal, um monstro gigante produzido pelos persas para conquistar a Grécia. Este monstro parecido com um lagarto é combatido muitas vezes durante a batalha da Ática. A fera cria incêndio dentro da boca e cospe bolas de fogo enormes, arruinando a cidade à sua volta. Kratos consegue matá-lo mantendo sua boca fechada a força quando a besta estava para cuspir uma bola de fogo. Isso resulta em bola de fogo explodindo dentro da boca do Basilisco, matando instantaneamente o grande monstro.
  • Charon - O barqueiro do Submundo, Kratos luta com ele duas vezes. Este homem velho e metade morto-vivo usa seus poderes mágicos (especialmente sua máscara) e uma foice poderosa contra Kratos. Ele chega a derrotar Kratos e o manda para o Tártaro, do qual Kratos retorna, armado com a Manopla de Zeus. Usando esse novo poder, Kratos derrota o barqueiro, cortando-o em dois e espancando seu rosto repetidamente com a Manopla.
  • Perséfone - A rainha do submundo, que está conspirando para trazer o fim do mundo. Kratos confronta-a no final do jogo. Na batalha, ela toma a forma de uma mulher de armadura com asas semelhantes às de uma borboleta. O Titã Atlas também está presente, ajudando-a a atacar Kratos com seus quatro braços gigantes. Kratos consegue enfraquecer sua forma, graças ao poder irradiado de Hélio (que está sendo mantido nos braços de Atlas) que ele mira em seu corpo. Kratos, então, dá o golpe final com a Manopla de Zeus, terminando a vida de Perséfone (causando a ira de Hades).

Ítens e habilidades

Armas

  • Lâminas do Caos - Lâminas poderosas dadas a Kratos por Ares quando o espartana jurou sua fidelidade ao deus. Elas são um par de grandes lâminas curvas que estão presas aos braços de Kratos por meio de correntes.
  • Manoplas de Zeus - Uma luva gigantesca forjada por Hefesto e usada por Zeus para acorrentar os poderosos Titãs nas profundezas do Tártaro. O Carcereiro do Tártaro ficou encarregado de protegê-las, e só ele tinha a chave para o Templo de Zeus.

Magias

  • Ifrit- Kratos obtém a habilidade de usar o Djinn depois de derrotar o rei persa durante o cerco de Ática. Quando usado, desencadeia o espírito de fogo que ataca todos os inimigos ao redor.
  • Luz da Alvorada - Depois de obter o fogo primordial nas cavernas do Olimpo, Kratos é capaz de invocar orbes de luz brilhantes e lançá-los contra seus inimigos.
  • Ira de Caronte - Quando Kratos luta contra Caronte, o barqueiro tem a capacidade de lançar chamas verdes ao guerreiro espartano através da máscara dourada que ele usa. Kratos ganha esse poder depois de confrontar Caronte pela segunda vez.

Relíquias

  • Escudo do Sol - O Escurdo do Sol é um objeto dos deuses usado para bloquear ataques e retornar projéteis. Kratos obteve o Escudo dentro do Templo de Helios
  • Lança de Tritão - A Lança de Tritão é um item semelhante a uma lança que Kratos encontra nas Cavernas do Olimpo. Ela permite que ele respire debaixo d'água, assim como o Tridente de Poseidon.
  • Chave do Guarda da Cripta - Essa chave ajuda Kratos a passar pelo Tártaro.

Roupas Bônus

Conteúdo Cortado

  • Um traje que deveria funcionar com a Manopla de Zeus, chamado "Armadura da Manopla", foi cortado da publicação final do jogo. O traje funciona de forma semelhante ao traje Legionário que funciona com as Armas de Esparta.

Brincadeira de 1º de Abril de 2009

  • Companion Cube: A Ready at Dawn trollou seus fãs falando de uma suposta "skin extremamente bem escondida", chamada Cube of War. O design do Cubo baseia-se no mesmo cubo da série Portal, só que com um símbolo ômega no centro. Um desenvolvedor representante explicou como o ítem poderia ser obtido: o jogador deve zerar Chains of Olympus na dificldade God, com NUR PAIN+  sem morrer duas vezes, além de coletar todas as Urnas de Poderes. No entanto, isso criou uma controvérsia. Em primeiro lugar, a série Portal é de propriedade da Valve, criadora do Steam. Usar a skin teriado criado uma má repecussão e laços ruins entre a Sony e a Valve. Em segundo lugar, não há Urnas de Poder em Chains of Olympus. Elas aparecem em God of War II. Embora seja possível completar NUR+ ou PAIN+ sem dano (o que exige certa habilidade), qualquer pessoa tentando completar Chains of Olympus com o requisito das Urnas descobriria que tal feito é 100% impossível.

Elenco

Curiosidades

  • Embora este jogo se passe antes de God of War, Hades trata Kratos respeitosamente durante sua busca para derrotar Ares, apesar de Kratos ter matado Perséfone antes de tais eventos. É provável que Zeus tenha ordenado Hades a ajudar Kratos na jornada, apesar de seus sentimentos, ou, então, Hades entendeu os motivos que Kratos teve para matar Perséfone, e não foi afetado pelos males da Caixa de Pandora até que Ares fosse morto.
  • Esta é a primeira e única vez que Kratos sorri. O sorriso é visto brevemente quando ele está segurando sua filha no ar.
  • Aparentemente, Calíope não guarda nenhum ressentimento em relação a seu pai por ter matado ela e sua mãe, uma vez que ela corre para abraçá-lo ao vê-lo.
  • Ao contrário dos outros jogos, as habilidades mágicas de Kratos estão mais relacionadas aos poderes da Hélio.
  • Este é o único jogo onde Ares não aparece, nem por aparição, nem por menção.
  • A versão PSP apresenta um erro de legenda. Em vez de "Atlas", está escrito "Altas". O remaster de PS3 consertou esse erro.
  • Este é o único jogo em que Kratos perde seus poderes, mas recupera todos de volta. Em todos os outros jogos que envolvem Kratos perdendo seus poderes (God of War II e III) Kratos perde seus poderes e não os recupera, e deve começar do zero novamente.

Vídeos

God of War Chains of Olympus (PSP) Trailer

God of War Chains of Olympus (PSP) Trailer