FANDOM



God of War: Ghost of Sparta é o sexto jogo da franquia God of War, lançado para o PSP e PSP Go. Posteriormente, foi lançado junto com God of War: Chains of Olympus para o Playstation 3 na God of War: Origins Collection.

A estória é a segunda a se passar entre God of War e God of War II, mas é a única que é cânone e apresenta Kratos visitando a cidade perdida de Atlândida.

Estória

Um Oráculo previu que a queda do Olimpo viria por meio de um Guerreiro Marcado, um mortal. Os deuses do Olimpo Zeus e Ares acreditavam que este guerreiro fosse Deimos, irmão de Kratos, devido as suas estranhas marcas de nascença. Ares cerca uma aldeia espartana e interrompe o treinamento infantil de Kratos e Deimos, com Atena preparada para cuidar dele e sequestrar Deimos. Kratos tenta parar Ares, mas é empurrado para o lado e marcado em seu olho direito pelo violento olímpico. Ares, o deus de guerra caído, se prepara para matar o jovem Kratos por atacá-lo. Felizmente, Atena pára Ares e diz que eles só vieram por causa Guerreiro Marcado, não para levar a vida do menino. Levado ao Domínio da Morte, Deimos é preso e torturado pelo Deus da Morte, Thanatos.

Kratos, o Fantasma de Esparta, tomou o lugar de Ares como o novo Deus da Guerra no Monte Olimpo. Ainda assombrada por visões de seu passado, Kratos decide - contra o conselho da deusa Atena - explorar seu passado e viajar para o Templo de Poseidon, localizado dentro da cidade da Atlântida. Apesar dos melhores esforços de [[Poseidopara] em evitar que Kratos atinja sua cidade, incluindo o envio do monstro Scylla, Kratos chega à Atlântida. Depois de uma série de confrontos, Kratos mata Scylla. Kratos eventualmente localiza sua mãe enferma, Callisto, que lhe revela a identidade de seu pai, com Kratos apenas ouvindo sons fracos e exaustos. Ela também diz que seu irmão está vivo e sendo atormentado no Domínio da Morte. Quando Callisto é repentinamnete transformada em um animal hediondo, Kratos é forçado a abatê-la, e, antes de morrer, Callisto agradece a Kratos e roga-lhe que procure seu irmão Deimos em Esparta. Antes de partir de Atlântida, Kratos encontra e libera o aprisionado titã Thera, que causa uma inundação que destrói a Atlântida. Depois de uma batalha com Erinys, filhada de Thanatos, em Aronia Pass, e depois que de matá-la, Kratos chega em Esparta, onde ele é louvado pelas pessoas. Enquanto se dirige ao Templo de Ares, ele testemunha um grupo de espartanos, liderados pelo Último Espartano, derrubando uma estátua de Ares para substituí-la por uma de Kratos. Kratos então vai para a [Prisão de Esparta]] onde ele persegue um dissidente leal a Ares, que tenta matar o espartano ao libertar o Leão de Pireu. No entanto, Kratos luta e mata ambos inimigos. Ele retorna ao Templo de Ares e depois de um encontro com um fantasma de seu eu mais jovem, ele descobre que ele deve retornar à Atlântida e encontrar o Domínio da Morte. Kratos então aceita suas armas anteriores, as Arms of Sparta, um presente dado pelo Último Espartano, e parte. Depois que Kratos sai de Esparta, ele retorna à Atlântida, mas quando seu navio se aproxima da cidade afundada, minions de Poseidon afundam o navio de Kratos e matam a tripulação. Depois de quase se afogar, uma estátua de Poseidon possuída pelo próprio Deus do Mar diz ao espartano que ele pagará por afundar seu reino e ele não esquecerá este evento. Kratos, então, percorre as ruínas da cidade, onde, após ser avisado pelo Coveiro para não alienar os deuses, ele finalmente consegue localizar o portão para o Domínio da Morte. 

Entrando no domínio da morte, Kratos eventualmente localiza e liberta seu irmão encarcerado, Deimos. Enfurecido com Kratos por não ter o resgatado mais cedo, Deimos diz que nunca vai perdoar Kratos, e o ataca, sendo interrompido pela intervenção de Thanatos. Sendo levado para as Falésias do Suicídio, Deimos quase cai do penhasco. Kratos então salva seu irmão, e os dois se reconciliam. Depois de dar a Deimos as Arms of Sparta, Kratos e Deimos lutam contra Thanatos juntos. Durante a luta, Thanatos transforma-se em um monstro preto e mata Deimos, mas é destruído por Kratos, que ficou enraivecido. Kratos carrega o corpo de seu irmão morto montanha acima, onde o enigmático Coveiro (que já tinha um túmulo preparado) enterra Deimos, e Kratos usa o Arms of Sparta como lápide. O Fantasma de Esparta então vai para as Falésias do Suicídio onde, depois de pensar brevemente sobre o suicídio, ele se pergunta: "Pelos deuses, o que eu me tornei?" O coveiro responde que ele se tornou a "Morte... a Destruidora de Mundos". Kratos gira a cabeça para encarar o coveiro, que desaparece. No mesmo instante, Atena sai do portal e diz à Kratos que laços dele com o mundo mortal estão, agora, cortados e ele está pronto para se tornar um deus. Atena tenta elevar Kratos ao status de completa divindade, porém o espartano a interrompe. Kratos retorna ao Olimpo, afirmando que os deuses pagarão pelo que fizeram. Quando Kratos retorna, Atena exclama: "Perdoe-me... irmão", marcando a primeira vez que Atena reconhece Kratos como um irmão.

Na cena pós-créditos, o Coveiro é mostrado colocando Callisto em seu túmulo, afirmando: "E agora... apenas um permanece". Uma terceira sepultura é vista, levando a acreditar que foi cavada para Kratos. A cena mostra então Kratos no seu trono, em sua armadura recém-forjada, furioso e determinado a vingar-se dos deuses. É amplamente assumido que isso leva ao início de God of War II, onde Kratos, impulsionado pela fúria da perda de seu irmão e mãe, leva os espartanos a uma batalha viciosa para assumir a cidade de Rodes. Zeus (que foi envenenado incontrolavelmente com o Medo depois de testemunhar Kratos assassinar o Deus da Morte) mais tarde engana Kratos e o mata, cumprindo sua declaração de que ele iria matar a pessoa restante na família, pessoa esta que ele nunca deveria ter feito.

Personagens

Inimigos

Inimigos Comuns

Chefes

Ítens e habilidades

Armas

Magia

  • Eye of Atlantis: Uma relíquia antiga que guarda o poder de Atlândida.
  • Scourge of Erinys: Esse artefato liberta um poder que nenhum deus ou mortal deveria possuir.
  • Horn of Boreas: Chifre que invoca o poder do Deus do Vento Nórdico, Bóreas.

Ítens

Relíquias dos Deuses

Estes ítens dão bônus em jogatinas bônus, quando ativadas.

Roupas Bônus

  • God Armor: Mate inimigos enquanto veste sua temida armadura de deus da guerra. 
  • Deimos: Jogue o jogo com o irmão mais novo de Kratos, Deimos.
  • Kratos Legionnaire: Use está armadura espartana clássica para combianar com o Arms of Sparta. 
  • Robotos: Um Kratos robô.
  • Ghost of Sparta: Você é Kratos, o Fantasma de Esparta.
  • Coveiro: Jogue como Zeus no modo Combat Arena.

Conteúdo Cortado

Dana Jan afirmou que os fãs queriam uma "versão feminina" de Kratos. Dana Jan apresentou essa ideia ao time. Eles projetaram uma roupa de "Deusa da Guerra". Infelizmente, o traje nunca chegou à publicação final.

Elenco

  • Steven Blum - Ares, Cidadão, Capitão do Barco, Soldado
  • Arthur Burghardt - Thanatos
  • Terrence C. Carson - Kratos
  • Mark Deklin - Deimos, Cidadão, Soldado
  • Alistair Duncan - Cidadão, Soldado
  • Paul Eiding - Coveiro, Dissidente
  • Gideon Emery - Poseidon, Último Espartano, Soldado Enlouquecido
  • Jennifer Hale - Callisto (jovem), Erinys (voz compartilhada), Cidadã
  • Linda Hunt - Narradora
  • Deanna Hurstold - Callisto
  • Liam O'Brien - Soldado
  • Cara Pifko - Cidadão, Prostituta Espartana
  • Tara Platt - Cidadão, Prostitura Espartana
  • Dee Dee Rescher - Thera
  • Antony Del Rio - Kratos (jovem)
  • Fred Tatasciore - Zeus, Rei Midas, Lanaeus
  • Erin Torpey - Atena, Erinys (voz compartilhada), Prostituta Espartana
  • Bridger Zadina - Deimos (jovem)

Recepção

God of War: Ghost of Sparta recebeu, geralmente, aclamação positiva de vários meios de comunicação.

IGN (9.5 / 10) declarou que os gráficos são "melhores boa parte dos jogos de PS2" e que é o "jogo mais famoso da PSP até agora". Em termos de jogabilidade, "não há nada único aqui, mas isso não é ruim".

Playsation: The Official Magazine (10/10) afirmou que "Ghost of Sparta oferece uma experiência imersiva a par com muitos dos melhores jogos de PS3".

1UP (A-) afirma que o jogo é "uma história mais pessoal comparado aos outros jogos do GOW, mas que ainda possui as marcas registradas da série", com o mini-game de sexo sendo "indiscutivelmente, o mais importante da lista".

Eurogamer (7/10) afirma que o "problema principal do jogo... está em seu foco original. A série God of War... está primariamente preocupada em superar o jogo anterior. O sistema de batalha é forte, mas não é nada sem o mundo e os set-pieces que o mesmo dirige. Existe a sensação de que o Ghost of Sparta é um passo para trás na série se você jogou o game do PlayStation 3. Os set-pieces, embora incríveis no contexto desta plataforma portátil, parecem cansados ​​quando colocados frente a frente, por exemplo, com as cenas de abertura de God of War III. E quando você tira o senso de admiração em um God of War, os componentes restantes lutam para carregar a experiência nas costas." A Eurogamer também afirma que o jogo é "melhor aproveitado pelos recém-chegados ou "aqueles que ainda jogarão" God of War III.

Game Informer (9.5) afirmou que, em termos de jogabilidade, "a mecânica de combate básica é familiar, mas os ajustes ajudam a melhorar a jogabilidade". Eles também declararam que "Ghost of Sparta não tem momentos de explodir a cabeça", mas "esta não é uma história paralela opcional, Ghost of Sparta é um must-play para os fãs de God of War."

Trívia

  • A demo de Ghost of Sparta para PSP foi liberada na PSN norte-americana em 28 de setembro de 2010 e um dias depois, em 29 de setembro de 2010, na Europa.
  • De acordo com o European PlayStation Blog, Kratos estaria armado com "as mortalmente acorrentadas Blades of Chaos". Já que elas foram tomadas de Kratos por Ares no fim de God of War, assume-se que ees queriam dizer "Blades of Athena".
  • O Coveiro é, de fato, Zeus. Selecionar a roupa de Coveiro e depois entrar na arena mostrará o Coveiro levantando sua pá no ar e esmagando-a no chão criando uma onda de choque de raios. Quando o relâmpago se acende, Zeus aparece, segurando a Lâmina do Olimpo e usando sua luva.
  •  Em lembrança de seu irmão falecido, Kratos ostenta uma tatuagem vermelha em seu corpo, que se parece muito com a marca de nascimento de Deimos em seus anos adultos. Este é provavelmente o motivo pelo qual os Deuses não o suspeitaram de ser o Guerrero Marcado, pois ele só ganhou as marcas depois de seu irmão ser levado cativo.
  • God of War: Ghost of Sparta é o primeiro jogo a quebrar algumas tradições dos jogos anteriores.
    • No menu de início de God of War: Ghost of Sparta, o lado esquerdo (tatuado) do rosto de Kratos é mostrado, oposto aos outros jogos onde o lado direito (com cicatrizes) é mostrado.
    • Todos os jogos anteriores (exceto Betrayal) foram lançados no mês de março, mas Ghost of Sparta foi lançado em novembro de 2010.
  • Ghost of Sparta também é o primeiro a introduzir algunmas mecânicas de combate que foram implementadas, posteriormente, em God of War: Ascension.
    • Existem várias encostas íngremes no jogo onde Kratos pode deslizar para baixo. Sua posição de deslizamento é exatamente igual a de Ascension (ele se agacha com suas lâminas cravadas no chão). Ao deslizar pelas encostas íngremes, o jogador pode controlar onde Kratos vai. Além disso, todas as encostas íngremes em GoS terminam em uma grande lacuna para outra plataforma, que Kratos deve pular usando um pequeno QTE. Isso também é visto com freqüência em Ascension
    • Mesmo que só tenha aparecido duas vezes no jogo, o modo "Sem-QTE/ataque livre" popularmente visto em Ascension pode ser usado em duas cenas em particular em Ghost of Sparta. Uma está na luta da Callisto onde o monstro bate com Kratos na parede. A outra é quando Kratos persegue Erinys. Os jogadores estão livres para atacar com quadrado ou triângulo contra ambos os inimigos até que eles lancem seu ataque novamente.
  • Atena só aparece pessoalmente para Kratos uma vez no jogo. Além disso, ela aparece três vezes em estátuas e uma vez em flashbacks da Invasão Espartana. No final do jogo ela se refere a Kratos como "Irmão", já que ambos são filhos de Zeus.
  • Ghost of Sparta é o único jogo onde você é um deus durante o jogo inteiro.
  • Como o jogo saiu e foi feito depois de God of War III, As Lâminas de Atena compartilham alguns dos movimentos das Lâminas de Exílio.
  • Na área onde Kratos encontra os primeiros ciclopes, o famoso Wilhelm Scream é ouvido quando o cicloope joga um soldado em outra pessoa.
  • Acredita-se que, quando Kratos matou Thanatos, em vez de não haver morte no mundo (como resultado da ausência do Deus da Morte), Kratos tornou-se a própria morte, o último destruidor que trará um caos total aos mundo dos homens e deuses (referência a God of War 3, onde Kratos traz apenas o Caos no final de sua aventura).

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória